Archive for 31 de agosto de 2011

Sua empresa é X ou Y ?

ARedeDigital_logo

Esse é um texto muito bacana sobre sobre as gerações X e Y.
No entanto, além desse conflito se refletir dentro das estruturas das empresa com seus funcionários, ele acontece diretamente entre empresas de gerações diferentes as empresas X e Y…

Cada dia é um luta para resolver as dúvidas e questões que surgem e assim vamos vivendo as surpresas e matando um leão por dia! Resta saber sua empresa é X ou Y????

A Geração X agrega todas as pessoas que nasceram entre os anos de 1960 e 1980, são os filhos dos Baby Boomers e pais da Geração Y. Essa geração entrou numa época fora das perspectivas utópicas, tendo que se conformar com um padrão de vida mais realista e consumista e em pleno período de Guerra Fria. São da época do  tropicalismo brasileiro e enfrentaram a Ditadura Militar de 64, viram o início da globalização, da primeira ida do homem à lua, do capitalismo e do consumismo.
Nessa época houve o florescimento do Downsizing corporativo (técnica originada das abordagens contemporâneas da Administração, voltada a eliminar a burocracia corporativa desnecessária e focada no centro da pirâmide hierárquica) o qual girava em torno da segurança no emprego. São, desse modo, pessoas mais seguras e fiéis ao emprego que possuem, ao contrário da Geração Y que mudam de emprego conforme seus interesses pessoais. Por serem tão firmes no emprego e empenhados em mantê-lo ocupam hoje posições de chefia.

São características da Geração X: busca da individualidade sem a perda da convivência em grupo; ruptura com as gerações anteriores; maior valor a indivíduos do sexo oposto e busca por seus direitos. Na verdade, é difícil separar os acontecimentos históricos vividos pela Geração X e Y, pode se dizer que os baby boomers presenciaram o início desses movimentos e a Geração X o fim.

São considerados integrantes da Geração Y os nascidos após 1980. Segundo Eline Kullock, maior especialista em geração Y do Brasil, essa é uma geração que adora feedback, é multitarefa (estuda enquanto ouve música; trabalha enquanto conversa em redes sociais), sonha em conciliar lazer e trabalho e é muito ligada em tecnologia e novas mídias. Muitos chamam essa geração de “Troféu” porque gozaram de benefícios não vividos por outras gerações, como uma era livre de guerras, bons momentos econômicos e uma liberdade até então nunca dada pelos pais aos filhos.
São impacientes e não conseguem ficar muito tempo no mesmo emprego, preocupados com si próprios e interessados em construir um mundo melhor, engajam-se em causas sociais e ambientais com facilidade. Folgados, distraídos, superficiais e insubordinados são outros adjetivos menos simpáticos, segundo a Revista Galileu.