Archive for Geração Y

Você quer ter 1 Milhão de Amigos!?!?

Olá Pessoal,

Esse é um trabalho muito bacana que minha amiga Teresa Amorim realizou
em sua pesquisa sobre Amizades Virtuais e que comenta em seu blog:
http://teresaamorimicgt.blogspot.com.br/

Sabemos o quanto nossas redes sociais nos estimulam a ter um grande número
de contatos, no entanto o quão verdadeiros e fortes são esses laços?
Esse números impressionam ainda mais quando estudos apontam que apenas
4% de todos nossos contatos estão em nossas Redes!

Se você precisar que alguém fize-se um favor por você quantos efetivamente
estariam alí para lhe socorrer? Interessante a Reflexão!

Abaixo segue a dissertação de mestrado da autora está disponível no site
da EICOS UFRJ link: Dissertação de Mestrado sobre amizade virtual

Confiram o texto original de autora abaixo, e boa leitura!

@braço
Carla Falcão

AMIZADES VIRTUAIS

“Eu quero ter um milhão de amigos / E bem mais forte poder cantar
Eu quero ter um milhão de amigos / E bem mais forte poder cantar”
(Roberto Carlos & Erasmo Carlos)[1]

“Eu quero ter um milhão de amigos”. Parece que, de alguma forma, essa música de Roberto e Erasmo Carlos traz para a nossa realidade um pouco do que temos vivido em nosso coletivo contemporâneo, as amizades virtuais. Alex Primo (2009) em seu blog “Dossiê Alex Primo” faz algumas considerações a esse respeito, ao mencionar que o cantor dessa música, não imaginaria que esse seria o objetivo de muitos indivíduos que usam as redes sociais online. Cabe a nós, refletirmos um pouco sobre as amizades que permeiam nossas vidas cotidianas.
Gosto de mencionar que minha motivação para uma pesquisa de mestrado sobre as amizades virtuais, surgiu a partir da minha experiência profissional como psicoterapeuta.

Iniciei minha profissão em um período em que as tecnologias do mundo virtual ainda não haviam invadido o ambiente doméstico. Desde então, tenho acompanhado as inovações tecnológicas, gerando alterações nas perspectivas humanas em suas formas de relacionamento social. No desenvolvimento do meu mestrado foi possível acompanhar alguns usuários, assim como a forma que os laços virtuais se fortalecem a cada dia.

A crescente frequência com que utilizamos as redes sociais, talvez reflita um desejo de se estar mais próximo dos outros. O mundo tecnológico trouxe novas formas de relacionamento. Disso não temos dúvidas. Mas colocamos foco na questão da quantidade de amigos virtuais.

O Facebook permite ao usuário ter o máximo de 5.000 amigos. Será possível ter tantos amigos on-line?  Gostaria de destacar a argumentação de Aristóteles sobre quantidade de amigos: “o excesso de amigos sobre o número suficiente para a nossa existência é supérfluo e constitui um obstáculo à vida nobre” (ARISTÓTELES, 1987, p. 172). Portanto, o grande filósofo adverte para o número elevado de “amigos”, de modo a manter um número apropriado para a convivência humana.

Mas, o que leva as pessoas a terem tantos amigos virtuais, quando sabemos que, seria impossível mantê-los de forma não virtual?  Para o sociólogo Mark Granovetter, os laços fracos são importantes para as redes sociais. Assim talvez, possamos apontar os fortes laços fracos das amizades virtuais como um grande network da vida contemporânea.

Um grande abraço Teresa Amorim

O tema da redação do Enem 2011: redes sociais


As redes sociais e tudo que envolve o mundo moderno e a tecnologia foi o tema da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) neste ano.

Os candidatos tiveram de enfocar as manifestações nas redes sociais no Brasil e suas consequências na política.

Com o enunciado “Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado”, os candidatos deveriam escrever sobre as redes sociais como Twitter e Facebook e como as pessoas se relacionam nesta plataforma.

Fonte: http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2011/10/23/881068/tema-da-redaco-do-enem-2011-mundo-moderno-e-tecnologia.html

Sua empresa é X ou Y ?

ARedeDigital_logo

Esse é um texto muito bacana sobre sobre as gerações X e Y.
No entanto, além desse conflito se refletir dentro das estruturas das empresa com seus funcionários, ele acontece diretamente entre empresas de gerações diferentes as empresas X e Y…

Cada dia é um luta para resolver as dúvidas e questões que surgem e assim vamos vivendo as surpresas e matando um leão por dia! Resta saber sua empresa é X ou Y????

A Geração X agrega todas as pessoas que nasceram entre os anos de 1960 e 1980, são os filhos dos Baby Boomers e pais da Geração Y. Essa geração entrou numa época fora das perspectivas utópicas, tendo que se conformar com um padrão de vida mais realista e consumista e em pleno período de Guerra Fria. São da época do  tropicalismo brasileiro e enfrentaram a Ditadura Militar de 64, viram o início da globalização, da primeira ida do homem à lua, do capitalismo e do consumismo.
Nessa época houve o florescimento do Downsizing corporativo (técnica originada das abordagens contemporâneas da Administração, voltada a eliminar a burocracia corporativa desnecessária e focada no centro da pirâmide hierárquica) o qual girava em torno da segurança no emprego. São, desse modo, pessoas mais seguras e fiéis ao emprego que possuem, ao contrário da Geração Y que mudam de emprego conforme seus interesses pessoais. Por serem tão firmes no emprego e empenhados em mantê-lo ocupam hoje posições de chefia.

São características da Geração X: busca da individualidade sem a perda da convivência em grupo; ruptura com as gerações anteriores; maior valor a indivíduos do sexo oposto e busca por seus direitos. Na verdade, é difícil separar os acontecimentos históricos vividos pela Geração X e Y, pode se dizer que os baby boomers presenciaram o início desses movimentos e a Geração X o fim.

São considerados integrantes da Geração Y os nascidos após 1980. Segundo Eline Kullock, maior especialista em geração Y do Brasil, essa é uma geração que adora feedback, é multitarefa (estuda enquanto ouve música; trabalha enquanto conversa em redes sociais), sonha em conciliar lazer e trabalho e é muito ligada em tecnologia e novas mídias. Muitos chamam essa geração de “Troféu” porque gozaram de benefícios não vividos por outras gerações, como uma era livre de guerras, bons momentos econômicos e uma liberdade até então nunca dada pelos pais aos filhos.
São impacientes e não conseguem ficar muito tempo no mesmo emprego, preocupados com si próprios e interessados em construir um mundo melhor, engajam-se em causas sociais e ambientais com facilidade. Folgados, distraídos, superficiais e insubordinados são outros adjetivos menos simpáticos, segundo a Revista Galileu.

Primeiro festival de cultura de negócios Y chega a SP

São Paulo será sede da primeira edição da Expo Y (Exposição de Gestão e Negócios para Geração Y) que tem como objetivo discutir as principais transformações da era digital, o impacto dos jovens no mercado de trabalho e os novos modelos de negócio e gestão que estão mudando radicalmente os mercados e o empreendedorismo.

O evento é uma iniciativa em joint venture entre a Sixpix Content, que publica a ResultsON, e a HSM, e ocorrerá de 18 a 20 de julho de 2011, no Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.
Read more